RicardoPessuto
Engenheiro agrônomo paisagista, atuante desde sua formação 1992.
Em 1999 inicia sua participação e mostras de paisagismo, debuta em Casa Cor Brasília com um jardim de 9 mil m².
No de 2000, inicia a participação da mostra FIAFLORA, participando ainda nos anos de 2002,2003,2004,2009 e 2011
Em 2001 participa da mostra Sorocaba Decor.
Em 2003, é convidado a iniciar a participação na Casa Cor de São Paulo, destacando os anos de 2004,2005, 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012, ano que recebe o titulo de melhor projeto paisagístico.
Em 2005 é convidado a participar da Casa Cor Mato Grosso.
Paralelamente em 2007 e 2008 participa da mostra CAD Brasil Casa Arte & Design e Casa Boa Mesa.
Recentemente recebe o titulo de melhor projeto paisagístico pela obra Jardim Tropical no 7º premio Olga Krell de Decoração e Paisagismo.( ao qual publica se nessa Edição).
Pessuto tem alem de sua formação academia a herança pela terra vivenciada no convívio de seu pai e avô Materno, desde criança já colecionava plantas e flores nas visitas feitas ao interior paulista nas diversas festas promovidas pelas cidades, exemplos destas Jundiá e Valinhos Festa do Figo. Atibaia festa do Morango e Flores. São Roque festa da Uva.
Em seu sitio na grande São Paulo, aprendeu a desenhar seus primeiros jardins. Infelizmente com o avanço das cidades essa propriedade foi transformada em uma loteamento, perdendo os jardins, porem hoje em Araçatuba Noroeste de São Paulo, inicia a formação de um exótico e exuberante jardim, em entrevista ele menciona, “estou cultivando minha aposentadoria, minha casa de repouso, sorri com orgulho”.
Seu objetivo maior em seus projetos e função de mundo é trazer a natureza junto ao homem, frase que herda de seu grande mestre Roberto Burle Marx.
Alta observação, respeito ao convívio dos moradores ao uso do jardim, respeito a arquitetura atribuída é a marca principal de suas obras.
Pessuto se realiza a cada traço desenhado, a cada planta cultivada.
O maior presente é ver seu jardim dar flores e frutos e visitar periodicamente suas obras, faz parte de sua rotina.
“Um jardim nunca é finalizado, a mutação, o enraizamento, a cada estação presenciamos uma nova etapa e assim sempre estamos renovando não somente a natureza mas nossa Alegria e Alma. Com esse olhar desenho e crio, com esse amor planto, com esse carinho cuido e assim me alimento em verdade e espírito.”